A família de oito ganhadores da Powerball de New Jersey reclamou seu prêmio de 429.6 milhões de dólares na sexta-feira. Eles fizeram um bolão, e a mãe de 70 anos de idade fez a aposta em uma loja da 7-Eleven.

Membros de uma família de New Jersey que fizeram um bolão para jogar na loteria americana Powerball e levaram, no sábado passado, 429 milhões de dólares, afirmam que o dinheiro será usado para pagar contas e fazer benfeitorias na comunidade.

“Foi uma benção de Deus, pois todos nós temos sonhos que queremos realizar na vida. Foi como se agora tivéssemos o financiamento para sua concretização”, afirmou Valerie Arthur, de Trenton, durante entrevista coletiva na sexta-feira, na sede da Loteria de New Jersey em Lawrenceville.

A matriarca da família ganhadora da Powerball, Pearlie Mae Smith, fez a aposta em uma loja da 7-Eleven em Trenton. Valerie fez sua declaração de um palanque cercada de sua mãe e seis irmãos.

O prêmio é de 429,6 milhões, e a família optou por receber toda a quantia de uma só vez, então, receberá 284 milhões em vez das parcelas pagas anualmente.

Levou alguns dias para que a família revelasse sua identidade. Eles queriam se certificar de que saberiam como lidar com o dinheiro sabiamente. Eles pediram para que seu advogado indicasse outros consultores para ajudá-los a decidir qual seria a melhor forma de gerenciar sua fortuna que ganharam na loteria americana.

“Após pagar empréstimos estudantis, hipotecas da casa e comprar um carro, ou outra coisa, para cada filho, o que fazer com o restante dos 283 milhões?”, questionou-se Valerie.

Pearlie Mae Smith e seus sete filhos fizeram um bolão e Smith escolheu os números (5, 25, 26, 44 e 66) que vieram a ela em sonho, disse ela.

Valerie explicou que sua irmã, Marsha-Ann Smith, ligou para ela informando que tinham ganhado.

“Eu disse, ‘pare de brincar de 1º de abril e desligue o telefone’; ela respondeu, ‘Não é brincadeira. Estamos em maio’; e completou, ‘Eu não estou mentindo’. ”

Uma das irmãs, Katherine Nunnally, é responsável por um programa de aconselhamento para meninas na comunidade, afirmou Valerie. A parte dela do prêmio ajudará a financiar o programa para que não tenha mais que depender de doações ou bolsas especiais de estudos, afirmou.

“Ela pode mudar a vida de muita gente como desejar”, disse a irmã mais velha.

No caso de Valerie, ela se aposentou como administradora de prisão há um ano. “Pensarei no que fazer com o dinheiro depois de uma longa viagem”, afirmou.